terça-feira, 15 de junho de 2010

Cala a Boca Galvão!

Tentando não ser repetitivo, vou mais uma vez, postar esse texto, foto e vídeo apenas dando uma adequada à epoca em que nos encontramos.
Ééééé torcedor brasileiiiiiro! Tá na hora de soltar aquele grito preso na garganta que você esperou por tanto tempo para poder grita-lo. Hajaaaa coraaaação, amigo! Haaaja puuuuulmão para inflar e gritar a pleno: Cala a boca Galvão!
Essa nem a zaga da Austrália deixaria passar. Depois de tanto se obrigar a ouvir os gritos frenéticos, e as bobagens do locutor e palpiteiro Amigão Dosque Tão Bueno, a torcida deu o troco.
Ainda existem pequenas oportunidades de se consolidar um ato democrático nesse país.
Preste atenção. Durante a homenagem ao Galvanizado tem alguém que lembra de outra grande figura, que também merecia sua justa homenagem, Casagrande Caída. Transformando este singelo momento em um dos pontos mais comoventes da relação entre a torcida e a crônica desportiva brasileira. Show de bolas pro Galvão
.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

domingo, 13 de junho de 2010

Em Tempos de Copa

Ta valendo muito dar uma olhada neste blog A Copa Que Interessa originado do guia de mesmo titulo. Sacada do amigo Eduardo Menezes, que acabou de se transformar em mais um colaborador involuntário do Corja.Net. Começamos então com uma singela opinião sobre o uniforme da equipe mexicana.

"Gentalha, gentalha!
O uniforme preto da seleção mexicana é lindo, mas faltou uma referência mais nacionalista para os designers da Adidas. Segue a minha sugestão:"

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Frank Jorge - Traumas (Roberto Carlos)

No repertório do Frank Jorge sempre aparece um Robertão referência à grande influencia que o cantor e toda a jovem-guarda tiveram sobre o seu trabalho. No show de lançamento do single O Viajante no Ocidente o Jorge sacou uma canção do Roberto Carlos, que até então eu desconhecia que ele tocasse. Traumas é o nome da música uma belíssima canção que fala sobre "se tornar adulto", e que está lá nos primeiros discos do Roberto da década de 60. Comprovoção total de sua Obsessão Anos 60.

Tarsício Meira's Band - Amigo (Roberto Carlos)

Esta foi uma noite um pouco improvável: no mesmo palco Tarcísio Meira's Band e Frank Jorge. Sim o projeto Ocidente Acústico, Rei Magro Produções, teve essa inusitada dobradinha.
O que essas duas atrações tem em comum? Nada, você diria. Mas não é bem assim. Então vamos lá, Frank Jorge faz parte da Graforréia Xilarmonica e é uma figura sempre muito bem-humorada. E o convite feito pelo Frank partiu por aí. Nos bastidores ele dizia vai ser divertido, eu quero é dar umas risadas.
Outra aproximação é musical. Hã, aí forçou a amizadade! Calma amigo corjeano, o que quero dizer é que ambos trazem no repertório ao menos uma canção do Roberto Carlos, seja pra homenagear ou referenciar seu trabalho, seja pra apatifar mesmo.
Então como resultado de uma noite bem robertista seguem dois vídeos para as próximas postagens. Começando com a Tarsício Meira's Band e sua versão para um clássico do Rebertão.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

O Estranho e A Jornalista

25 de fevereiro de um ano qualquer
A rotina do Estranho era essa: acordar, sair da cama e ir para o sofá, seu melhor amigo e companheiro de todas as horas. Ele também poderia ser conhecido como ‘O Homem do Sofá’. O Estranho queria ver A Jornalista e queria que Ela o visse também. Foi nesse dia que, empolgado com as anfetaminas, resolveu vestir sua melhor camisa xadrez e ir a um show de rock. Porto Alegre estava se modificando diante de seus olhos e caminhando pela Avenida Osvaldo Aranha ele comprou um baseado. Fumou ali na avenida mesmo, sozinho. Ele sentiu seu coração disparar. Saiu correndo, mas não sabia aonde ia. Estava ansioso para encontrar A Jornalista. Parou na esquina do Ocidente. Tinha festa, era show da Pública. Um cara baixinho e gordo avisava que a festa era fechada para a imprensa. O Estranho precisava de um convite para entrar. Sentiu que Ela estaria na festa. Nesta hora um cara alto e cabeludo saiu do Ocidente reclamando das músicas e atirou o convite na calçada. Provavelmente ele queria um heavy metal. O Estranho pegou o convite e entrou. Comprou um uísque. Ela estava lá, linda, com o mesmo vestido de bolinhas preto e branco. Ele ficou parado no balcão enquanto Ela se aproximava e perguntava:
[A Jornalista] – Você não é o escritor de muitos livros de sucesso aqui de Porto Alegre? Eu conheço você, esteve me observando na virada do ano na praia de Torres. Aliás, eu estava com este mesmo vestido, eu te vi na Redenção uma vez.
O Estranho ficou pasmo na hora, não conseguiu falar e seus pensamentos ficaram fora de si. Ela era linda, era a guria mais linda que Ele já tinha visto na vida. Com certeza Ele já a amava. Ele não sabia explicar o que as pessoas interpretam quando dizem que se apaixonam à primeira vista, mas com Ele aconteceu.
Ela falava em Radiohead, em Coldplay. Descrevia Pearl Jam com tanta naturalidade. O coração do Estranho sentiu um aperto inexplicável. Seus olhos congelaram nela. Mas tudo foi interrompido por disparos de tiros na Rua João Telles. Nesse momento todos caíram no chão e Ela o abraçou tão forte que Ele quase desmaiou por falta de ar. Passado o susto todos voltaram a dançar. A Jornalista rapidamente pegou um cigarro da bolsa, acendeu e disse:
[A Jornalista] – Deve ter sido a máfia italiana! Fiquei tão assustada. Achei que morreria e não veria mais a Valentine. Você não vai falar nada?
O Estranho levantou, espantado, o copo de uísque, tomou um gole e perguntou:
[O Estranho] – Quem é Valentine?
A Jornalista sorriu e confessou que era sua cadelinha vira-lata que havia adotado naquela semana. O Estranho esboçou um sorriso sem graça. Ao longo da noite foram muitas doses de uísque, maconha e pouca conversa. Ela se despediu e deixou seu telefone com Ele. Pediu para que ligasse para conversarem.

(trecho do Livro de Flora Dutra 'O Estranho e A Jornalista')

terça-feira, 1 de junho de 2010

The Dancing Demons - Velociraptor de Deus (Beco 13/05/10)

Reforçando o convite feito na postagem anterior a The Dancing Demons se apresenta pontualmente 22h na sexta-feira dia 11/06 no Garagem Hermética dentro do evento de lançamento do Selo King Skull, o King Skull Metal Fest. Compareçam.
Pra fazer um clima de convite mesmo um vídeo gravado no Beco no dia 13/05, confere aí.

Lançamento Selo King Skull 11/06 Garagem Hermética

Já andei comentando por aqui, mas sempre é bom reforçar a informação. No dia 11 de junho, sexta-feira, acontece o lançamento do selo King Skull http://kingskullselo.blogspot.com/ http://www.myspace.com/selokingskull. O selo é dedicado ao metal em várias vertentes do som pesado. A festa será no Garagem Hermética, começando pontualmente as 22h.
A parada vai ser bem legal mesmo. Lá no Whiplash site especializado em música você também encontra informações
http://whiplash.net/materias/agenda/108645.html
GRADE DOS SHOWS
- Pontualmente.21:00min - Coctail para imprensa
22:00min -
THE DANCING DEMONS
22:35min - EXILIUM
23h00min - FUERZA BRUTA
23h45min - ASHES
00h30min - NOOKANSHI
1h15min - DISRUPTED
2h00min - PULL THE TRIGGER
2h45min - MUNDANO
3h30min - THEJOKKE