terça-feira, 8 de maio de 2007

Erracionais

Neste domingo estava casa, curtindo a família aquela coisa toda, quando de repente me surge a Maria Glória (que não tem Glória em ser Maria, pois preferiu o estrelato a maternidade). A triste figura de cabelos alisados e corpo marombado,negando a idade já passada dos cinquentinha, anuncia em tom carrancudo: fãs do grupo de rap “ERRACIONAIS” MC´s promovem baderna em show na Virada Cultural de São Paulo.
A polícia e os repórteres investigativos são realmente eficientes quando querem. Chegaram ao ponto de, em poucas horas após o incidente, identificarem a predileção musical dos baderneiros. São fãs dos Erracionais.
Infelizmente pouco posso falar sobre o grupo citado pela Péle de saias do jornalismo brasileiro, ainda não tive a oportunidade de escutar o som dos Erracionais MC´s. Já com relação ao que aconteceu com o grupo Racionais MC’s, o papo é outro. O titulo do evento já diz tudo Virada Cultural, no caso Revirada ou Reviravolta Cultural. Explico, ou confundo:
A música de Ed Rock, Mano Brown, Ice blue e K.L.Jay sempre serviu como válvula de escape pra quem é oprimido pelos opressores oficiais do Estado e pelos opressores paisanos do dia-a-dia. O rap como a capoeira ou samba sempre foi a volta por cima, o troco a virada de jogo. E mais uma vez quando esta gente está por cima, pimba. Quem já apanhou sem dever nada, apenas por estar em atitude suspeita (atitude suspeita é o termo técnico policial para “negro andando pela rua”, correndo já é confissão de crime). Quem já fez as senhoras segurarem a bolsa com força ou atravessarem a rua sabe do que estou falando.
Pobres vítimas do sistema, óhh. Espera aí eu não disse isso, existem caminhos existem escolhas. Você pode optar entre ser bandido, ou ser confundido com bandido. Entre ser confundido com bandido e aguentar calado ou escrever um rap e manter sua dignidade. Quando as pessoas escolhem à segunda opção elas estão executando a Virada.
Quando um batalhão policial não consegue deter meia dúzia de baderneiros e avança pra cima de quem já apanhou até por perguntar as horas provocando tumulto. Quando a imprensa no dia seguinte apresenta como culpados os fãs de um grupo de rap, e conclama as autoridades para que ouçam o grupo em depoimento para darem satisfação de suas letras. Acontece a Reviravolta.
Parabéns São Paulo pela Reviravolta Cultural.

Um comentário:

Jorge Nogueira disse...

Boa Grillo! Bom artigo! A discriminação racial e social são latentes na nossa sociedade e sempre encobertas por adjetivos como baderneiros, vagabundos e coisas do tipo!

Abração do amigo Dejalma!